SOS Quarentena - Como fazer funcionar o trabalho em casa e a nova rotina

O home office tem seus desafios e delícias e trabalhar em casa nesse cenário de pandemia e quarentena apresenta desafios mais específicos. Mesmo que você já esteja acostumada com o trabalho em casa, quando algo significativo muda, a experiência se torna também nova, precisando de um tempo para adaptação.

Por isso quero dizer primeiro é: calma! Está tudo bem não ser super produtiva, estranhar as coisas ou sentir-se meio perdida. Também não precisa entrar na pira de reorganizar tudo ou faxinar a casa todo o dia. Aos poucos vamos nos adaptando e entendendo o que muda na rotina.

Diante disso, separei dicas e ideias para empreendedoras e autônomas para esse momento que vivemos. Vamos falar sobre:

  • Como trabalhar bem em casa em quarentena

  • Ideias do que fazer nos períodos de baixa

5 dicas para passar bem pelo home office na quarentena


  • Escolha um momento para ver as notícias e manter-se (BEM) informada:

Você não precisa fingir que não há nada acontecendo lá fora. As notícias e atualizações são muitas e importantes e as fontes ilimitadas, das mais seguras às mais duvidosas. Limite para um ou dois momentos no dia para se informar, escolha fontes confiáveis e determine quanto tempo vai gastar nisso. Nossa tendência com o medo é buscar mais e mais informações (além das que chegam espontaneamente), mas se observarmos bem, elas se repetem o dia todo. Saia do loop do medo. Informe-se e depois faça outras coisas.


  • Saiba os dias e os diferencie:

Quando passamos mais tempo em casa é normal se perder. Saiba que dia da semana é hoje, dia do mês, que horas são. Parece bobagem, mas não é. Outra coisa curiosa é fora da rotina normal e sem sair os dias parecem todos iguais, você pode não perceber se é final de semana ou feriado. Crie demarcações para são ser consumida pelo tema trabalho durante todo seu tempo. Você pode só não trabalhar no final de semana, mas aproveite também para pensar como usar estes dias de maneira específica. Por exemplo: Durma até mais tarde, mude a ordem de fazer as coisas, faça um café da manhã mais especial, fale mais com a família e amigos…


  • Crie pequenos rituais:

Rituais são pequenos sinais que mostram ao nosso corpo (incluindo nosso cérebro) sobre o que vai acontecer e para que ele deve se preparar. Aqui valem as clássicas dicas de tirar o pijama, por exemplo, mas descubra os que fazem sentido para você experimente. Podem ser as ideias mais variadas, passar maquiagem, tomar um banho, preparar um café, criar lista de tarefas do dia. Ah! Não precisa fazer uma super produção.


  • Crie seu espaço:

Separe e prepare um espaço físico adequado para trabalhar. São três razões para isso: Primeiro a história dos sinais para o cérebro, depois fica mais fácil se organizar mentalmente quando há uma organização externa e por fim, quando você divide a casa com outras pessoas, firmar um espaço e ir para lá deixa claro que aquele momento é de trabalho e deve ser respeitado. Não precisa ter um cômodo específico para isso. Pode ser uma caixinha que você guarda os itens e monta ao começar o dia ou uma plaquinha na mesa escrita “escritório” ou “trabalhando”. Tente ajustar alturas de monitor, achar a melhor cadeira, entre outros ajustes que tornam mais adequado.


  • Saiba o que vai fazer hoje:

Relembre o que é importante, defina prioridades e estabeleça planos para aquele dia. Lembre de estabelecer horários para comer e também pausas estratégicas para recarregar e relaxar. Crie uma rotina! A palavra soa chata, mas nos ajuda a achar estabilidade no meio do caos. Essa é uma técnica simples que pode transformar essa experiência de home office neste período de inquietudes internas e reclusão (inclusive recomendado por especialistas da saúde como o psicanalista Christian Dunker). Não se esqueça de colocar nos planos falar com as pessoas mais queridas e se fazer presente mesmo à distância. Ah! Finalize o trabalho e saia do ambiente em que estava para demarcar o fim desse período e por último e não menos importante… faça coisas sem nenhuma utilidade aparente.



8 Ideias de coisas para fazer nos períodos de baixa

  • Plantar:

É hora de divulgar seu trabalho, mostrar-se para quando a situação mudar você ter pessoas que sabem o que você faz e vão escolher você. Você pode criar materiais para distribuir, pequenos vídeos, fotos de trabalhos anteriores, sessões de perguntas e respostas, enviar uma mini apresentação para os amigos no Whatsapp e pedir que eles espalhem… É hora de testar!


  • Colher feedbacks e depoimentos:

É um bom momento para se reconectar com clientes antigos e entender o que foi melhor nas experiências deles, como eles te descobriram, o que fez com que decidissem por você e pedir depoimentos. Você pode usar essas informações para replanejar estratégias e também para rechear o item anterior.


  • Alimentar o cérebro:

O cérebro também precisa de alimentos para criar, sejam estratégias, sejam produtos… as ideias não surgem magicamente. Veja novos filmes, vídeos e conteúdos de origens variadas, leituras esquecidas, livros, pequenos textos, imagens. Vale também rever fotos, relembrar de fases antigas e como você se sentia nelas. Aqui reforço o lembrete de não focar só em coisas que você enxerga uma utilidade imediata para um objetivo. Depois de alimentar nosso melhor aliado, ele trabalha sozinho! Deixe que ele faça suas malucas conexões, sem pressioná-lo por um resultado. As surpresas vem daí.


  • Alimentar a alma e cuidar de você:

Fazer aquelas coisas que só você pode fazer. Massagem no pé, ouvir uma música que você ame, assistir seus filmes favoritos, fazer nada de pé para cima olhando para o teto. Não lembra o que você AMA fazer? É um ótimo momento para redescobrir. Teste, experimente e descubra. Não entre na pira da produtividade total, de assistir mil lives por dia ou passar o dia nas redes sociais. Respira.


  • Reviver aquelas ideias que estavam esquecidas:

Se você tem o hábito de registrar ideias, é hora de abrir o baú. Pense se elas ainda fazem sentido, estratégias simples para fazê-las acontecer, em quem poderia ajudar… E se você ainda não faz isso, aproveite para separar um caderninho ou pensar em formas de registrar ideias sem perdê-las. Criar um banco de ideias é uma estratégia para tê-las sempre à mão, sem necessariamente precisar gastar tempo e energia para amadurecê-las. Em outras palavras, ajuda a não perder o foco.


  • Estudar e pesquisar:

Agora sim vamos falar de mergulhar em assuntos objetivamente úteis. Pesquise mais sobre seus clientes, concorrentes, possíveis parceiros. Desenhe parcerias das mais básicas às mais malucas. Descubra os temas que você é boa e aproveite para se aprofundar neles. Sobre aqueles que são realmente importantes e que você não é tão boa assim, pense quem complementa você e dedique-se menos a eles para aprender o mínimo e poder conversar com quem pode ajudá-la nisso. Foque em reforçar seus pontos fortes!

> cadastre-se para saber do workshop "Odeio networking, e agora?" que ajuda a planejar parcerias estratégicas


  • Reorganizar seu modelo de negócios:

É aquele momento de olhar para o todo do seu negócio de novo e pensar sobre novas formas de atuar nesse momento. Lembra do Canvas de Modelo de Negócio? Reveja seus campos. Pense nos novos problemas e necessidades de seus clientes, formas alternativas de entregar sua proposta de valor. É possível criar novas formas de atendimento à distância? Que tipos de serviços/produtos posso oferecer agora com o que eu sei e a partir das necessidades que observei? Redescubra novas conexões entre as áreas e como uma alteração em um campo, pode afetar o outro.

> se precisar de apoio para rever seu negócio, cadastre-se para saber da Mentoria Criativa


No próximo post da série, falamos sobre sugestões para viabilizar seu negócio nessa fase desafiadora. Não entre em pânico! :) A gente vai junta passar por tudo isso.

Tel: (11) 984398277 

 falecomigo@priscilavalentino.com.br

Rua Brigadeiro Galvão, 153 - São Paulo

CNPJ: 33.167.562/0001-83

© 2019-2020 por Priscila Valentino