"Não sei o que sei fazer!" 3 perguntas para começar a reconhecer suas habilidades

Se você já se perguntou o que sabe fazer e qual o próximo passo, esse texto é para você.


Uma carreira criativa dificilmente é linear. Com a liberdade de construir um caminho que faça sentido, não precisamos mais nos prender a jornadas pré-definidas pelas progressões de carreira de uma empresa ou área de conhecimento. Tomar consciência dos aprendizados e competências desenvolvidas, é o que ajuda no momento de fazer uma transição de carreira.


Se você já passou por um momento de mudança, sabe o como é complicado olhar para si mesma e para suas experiências e enxergar além de seus cargos. Então, aqui vão algumas dicas para perceber o que você faz bem e aplicar isso nos planos futuros:


1. O que você faz hoje? Faça o exercício de enxergar além das suas tarefas e do seu cargo e pense no que exatamente representa aquilo que você faz. Por exemplo: No livro A Startup de $100, Chris Guillebeau conta a história de Kat Adler, excelente garçonete, que recebia gorjetas gordinhas porque sabia exatamente como agradar e o que sugerir aos clientes que atendia. Alguém percebeu suas habilidades de trato com pessoas e sugeriu que ela investisse em relações públicas e tem dado certo.


No seu trabalho atual, quais são as tarefas que você precisa realizar? Planejar, criar, pesquisar... Um caminho para você começar a pensar.


2. O que você sabe que faz bem? Existem também aquelas coisas que não são necessariamente relacionadas ao trabalho, mas que sabemos que fazemos bem. É o caso dos cozinheiros de final de semana, escritores das horas vagas, artesãs… Costumamos dedicar o nosso tempo livre às atividades que temos prazer em fazer e fazemos bem, como são prazeres paralelos, nem sempre paramos para analisar o que realizamos durante essas tarefas. Por exemplo: Pesquisar tendências, ler, escrever de um jeito específico, criar, buscar referências, conectar-se de maneira natural com as pessoas, receber com atenção.


3. O que as pessoas pedem para você fazer? Essas são algumas coisas que nem sempre assumimos ou percebemos que fazemos bem, já que em geral, fazemos com menos esforço. Já percebeu que as pessoas pedem para você criar convites de aniversário ou lembrancinhas? Cantar no casamento da prima? Ajudar no roteiro de uma viagem ou descobrir coisas diferentes para fazer numa cidade? Abra o olho, quem sabe isso não é algo que você pode aproveitar?


Ao dar nome às suas competências, você começa a assumí-las para você, para as pessoas ao redor e para o mercado.


Perceber suas habilidades faz com que você abra um leque de possibilidades para um possível novo negócio ou próximo movimento de carreira. Um professor normalmente tem facilidade para aprender, digerir e transformar informações complexas para o outro, sabe expor suas ideias de maneira clara, mas talvez ele simplesmente se veja como alguém que sabe dar aula. Não é legal descobrir outro jeito para explicar e perceber suas habilidades?


Agora que você já se conhece bem, o que você pode fazer com essas descobertas?


Tel: (11) 984398277 

 falecomigo@priscilavalentino.com.br

Rua Brigadeiro Galvão, 153 - São Paulo

CNPJ: 33.167.562/0001-83

© 2019-2020 por Priscila Valentino